Resoluções Para O Novo Ano

Resoluções Para O Novo Ano

  – Resoluções Para O Novo Ano – “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé” (1 João 5:4). Se você crê, em seu coração, que está certo, deve lutar para tornar realidade o seu desejo. Somente o peixe morto nada o tempo todo a favor da correnteza. (Linda Ellerbee) O ano novo está se aproximando. O que esperamos dele? Como será a nossa vida através de cada um de seus dias? Que sonhos almejamos conquistar? A nossa sugestão é que você exercite, em cada um dia do novo ano, a sua fé. Seja ela pequena ou grande, pratique-a! Seja o caminho fácil ou difícil, insista! Seja a estrada plana ou pedregosa, esforce-se! Mesmo que muitos tentem fazer você desistir, não desanime, creia! Jesus nos disse que venceu o mundo e o fez para que nós seguíssemos Seu exemplo e vencêssemos também. Como diz a autora de nossa ilustração, enquanto estamos vivos devemos seguir em frente. Se nos sentirmos fracos, peçamos ajuda ao Senhor e Ele certamente nos fortalecerá. Se cairmos, vamos levantar e recomeçar. Se fracassarmos, vamos compreender que foi apenas um passo e não o definitivo. O novo ano trará consigo as bênçãos do Senhor. Sua vida será abençoada; sua família será abençoada; sua casa será abençoada. O Abençoador está com você e isso faz toda a diferença. Caminhando a Seu lado, a possibilidade de não conquistar seus sonhos é nula. Revestido de fé, mesmo que tenha de nadar contra a correnteza, você sempre alcançará a vitória! * É o que te deseja toda a Equipe da UNIVERSIDADE DA BÍBLIA Deus te abençoe abundantemente!        

Feliz Natal!

Feliz Natal!

  O cristão pode sim comemorar o Natal distribuindo presentes e se confraternizando com os amigos. No entanto, o que não se deve esquecer é o real sentido desta época do ano. Enquanto o comércio está abarrotado de pessoas pensando qual roupa deve comprar e quais utensílios de casa precisam adquirir, há um povo que sabe bem o que esta data representa. Um dia, um homem veio ao mundo para assegurar o futuro, marcar o presente e interferir no passado. Jesus nasceu para salvar a humanidade e um dia ele bateu na nossa porta e nós o deixamos entrar. E que transformação ele fez. Que revolução este homem proporcionou nos corações aflitos e desejosos de mudança. O Natal é a magnitude de Cristo em nossas vidas. Exaltemos, portanto, este homem – tão venerado e aceito por muitos, e tão esquecido e isolado por outros. “E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.”     Um feliz nascimento de Cristo em seu coração e que a alegria desta data permaneça em sua vida para sempre. É o que deseja toda a Equipe da Universidade da Biblia!    

Video Cordel de Natal

Video Cordel de Natal

JESUS , O VERDADEIRO NATAL! Belo video retratando o verdadeiro sentido do natal cristão. Um maravilhoso trabalho em cordel.    

Panorama da Bíblia – NÚMEROS

Panorama da Bíblia – NÚMEROS

  Panorama da Bíblia – Números Título Arithmoi é o titulo da versão grega dos Setenta (século III A.C.); Numeri, na Vulgata latina, simplesmente porque esse livro compreende dois recenseamentos do povo de Israel: o primeiro efetuado após a saída do Egito, no começo do segundo ano de sua peregrinação no deserto (cap. 1); o segundo, 39 anos mais tarde, imediatamente antes que a nova geração de Israel penetrasse em Canaã (cap. 26).     Os israelitas designam o quarto livro de Moisés pelas primeiras palavras do texto hebraico: “No deserto”. Esse título corresponde muito melhor ao assunto desses 36 capítulos, que narram mais de 38 anos de experiências do povo eleito: desde a partida do Sinai até a chegada às planícies de Moabe.     Primeira Seção (cap. 1-10) O livro do Êxodo permitiu-nos seguir Israel até o monte Sinai, onde Deus lhe comunicou Suas ordenanças e Suas leis. O Levítico é inteiramente consagrado às prescrições sacerdotais dadas pelo Senhor durante o primeiro ano após a saída do Egito.     Os 10 primeiros capítulos de Números descrevem acontecimentos que duraram apenas algumas semanas: preparativos ordenados por Deus antes da partida do Sinai. Esta partida teve lugar no 20º dia do segundo mês do segundo ano (10:11):     Recenseamento do povo — cap. 1 Organização do acampamento — cap. 2 Recenseamento e funções dos levitas — cap. 3e4 Pureza no acampamento — cap. 5 e6 Ofertas dos príncipes — cap. 7 Consagração dos levitas – cap. 8 Celebração da segunda Páscoa e presença da nuvem — cap. 9 Trombetas anunciando a partida — cap. 10   Segunda Seção (cap. 11-21) O povo de Israel poderia ter vencido em 11 dias a distância que separa o Sinai de Canja (confira Deuteronômio 1:2). Em vez disso permaneceu quase 40 anos nesse “grande e terrível deserto” (Deuteronômio 1:19), até que perecesse toda a geração rebelde, mediante o castigo divino (Números 14:33-34; 1 Coríntios 10:5; Hebreus 3:16-17).     Cabe a esta seção de Números contar-nos os principais acontecimentos desses 40 anos. Essa narração gira essencialmente em torno de 7 ocasiões particulares em que Israel se tornou culpado, murmurando contra Deus.     Murmuração após a primeira etapa da viagem – 11:1-3. Murmuração contra o alimento – 11:4-35. Murmuração de Miriã e Arão a respeito de Moisés – cap. 12. Murmuração após o relatório dos 12 espias chegados de Canaã – cap. 13-14. Murmuração de Coré e seus companheiros, contra a autoridade – cap. 16-17. Murmuração em Meribá: falta de água – cap. 20. Murmuração em Hor: as serpentes ardentes – cap. 21.   Terceira Seção (cap. 22-36) Em contraste com os anteriores, estes quinze capítulos preenchem uma época relativamente curta: a etapa que vai dos dias nas planícies de Moabe até a véspera da entrada em Canaã. As vitórias sobre Seom, rei dos amorreus e sobre Ogue, rei de Basã (21:21-35), permitiram um rápido avanço no itinerário que conduzia à Palestina.     Israel já se encontrava na proximidade do Jordão, Continue lendo

O Dia da Bíblia

O Dia da Bíblia

No próximo domingo (11) será comemorado o Dia da Bíblia no Brasil! . :. Como celebrar o dia da bíblia .: A Semana da Bíblia é dedicada a eventos variados que vão desde cultos até maratonas de leitura bíblica que mobilizam milhares de pessoas. Há mais de 150 anos, o Dia da Bíblia, é celebrado com o objetivo de difundir e estimular a leitura da Palavra de Deus. A fundação da Sociedade Bíblica do Brasil, em 1948, contribuiu para que esta data fosse se popularizando cada vez mais. E, graças a esse trabalho, o Dia da Bíblia, passou a ser comemorado não só no segundo domingo de dezembro, mas também ao longo de toda a semana que antecede esta data. A Semana da Bíblia é dedicada a eventos variados que vão desde cultos até maratonas de leitura bíblica que mobilizam milhares de pessoas. Conheça, a seguir, como a Semana da Bíblia é comemorada. Cultos – As igrejas planejam e realizam cultos especiais no Dia da Bíblia. Nestes cultos é lembrado o grande amor de Deus ao entregar a sua Palavra aos homens e o valor dessa Palavra na vida das pessoas. Em geral, nesses Cultos, ofertas especiais são recolhidas para ajudar na distribuição da Bíblia no Brasil e no mundo. Graças a essas ofertas, a Sociedade Bíblica do Brasil consegue distribuir milhares de Bíblias, Novos Testamentos, Porções e Seleções Bíblicas a pessoas necessitadas, na mais diferentes situações e lugares. Carreatas – Muitas igrejas organizam desfiles de carros pelas ruas principais da cidade, ostentando faixas com versículos bíblicos. Carros alegóricos, com representações de Bíblias, normalmente fazem parte da carreata. Concentrações – As igrejas evangélicas de muitas cidades organizam concentrações públicas para celebrar o Dia da Bíblia. Estas concentrações ocorrem em praças, ginásios esportivos, estádios e outros lugares de fácil acesso ao público. Um culto público, com pregação da palavra, orações e apresentação de corais e conjuntos musicais normalmente é o clímax da celebração. Bíblias, Novos Testamento, Porções Bíblicas e Seleções Bíblicas são distribuídos nas concentrações. Maratona – As igrejas organizam maratonas de leitura bíblica em seus templos ou em lugares públicos. Essas maratonas seguem dois modelos. Num caso, textos selecionados são escolhidos e lidos publicamente, normalmente em lugares de grande afluência de pessoas. No segundo caso, é feita a leitura ininterrupta de todo o texto bíblico. Pessoas são escaladas para darem continuidade à leitura e ela só é interrompida quando se completa a leitura de toda a Bíblia. Normalmente esta leitura leva mais de um dia para ser concluída e implica em fazer uma vigília. Monumentos – Já vem de décadas o costume de levantar monumentos à Bíblia em praças públicas das cidades. O monumento à Bíblia é um testemunho público da importância da Bíblia para as pessoas e para a sociedade e, ao mesmo tempo, um marco da importância da Bíblia para a cultura do povo. Distribuição – Existem Igrejas que, no Dia da Bíblia, efetuam distribuição maciça de folhetos (Seleções Bíblicas), para que o povo conheça o valor da Continue lendo

As muralhas de Jericó

As muralhas de Jericó

As cidades bíblicas descobertas  pela arqueologia.   As muralhas de Jericó E a muralha ruiu por terra… (J s 6.20). O dr. John Garstang, diretor da Escola Britânica de Arqueologia de Jerusalém e do Departamento de Antiguidades do governo da Palestina (1930-36), descobriu em suas escavações que o muro realmente “foi abaixo”; caiu, e que era duplo. Os dois muros ficavam separados um do outro por uma distância de cinco metros. O muro externo tinha dois metros de espessura e o interno, quatro metros. Os dois tinham cerca de dez metros de altura. Eram construídos não muito solidamente, sobre alicerces defeituosos e desnivelados, com tijolos de dez centímetros de espessura, por trinta a sessenta centímetros de comprimento, assentados em argamassa de lama. Eram ligados entre si por casas construídas de través na parte superior, como a de Raabe, por exemplo, erguida “sobre o muro”. Garstang verificou também que o muro externo ruiu para fora, pela encosta da colina, arrastando consigo o muro interno e as casas, ficando as camadas de tijolos cada vez mais finas à proporção que rolavam ladeira abaixo. O dr. Garstang pensa haver indícios de que o muro foi derribado por um terremoto, o que pode ser, perfeitamente unia conseqüência da ação divina. 0s cristãos não possuem nenhuma dúvida quanto à existência das cidades mencionadas no Antigo e no Novo Testamento. Por isso, dificilmente julgamos necessário conhecer alguma documentação que comprove esse fato. Não obstante, sabemos que muitas obras religiosas não resistem à menor verificação arqueológica, o que contrasta imensamente com a Bíblia que, através dos séculos, tem seus apontamentos históricos e geográficos cada vez mais ratificados pela verdadeira ciência. Evidentemente, nossa fé não está baseada nas descobertas da ciência. Entretanto, não podemos ignorar os benefícios provindos dela quando seus estudos servem para solidificar a nossa crença. O objetivo desta matéria é apresentar uma lista parcial de algumas cidades mencionadas na Bíblia e encontradas atualmente pelas escavações arqueológicas. Elaboraremos a lista apresentando suas respectivas evidências. Esclarecemos também essa seletividade porque há centenas de outras cidades que também foram evidenciadas pela arqueologia. O que faremos aqui, no entanto, é apenas uma breve introdução ao assunto. Este artigo se propõe tão somente a lançar mais evidências ao fato de que a Bíblia não é um livro de ficção, de histórias inventadas por homens falíveis, mas, sim, inspirada por Deus, portanto, suas citações geográficas resistem à verificação arqueológica. De fato, a Bíblia não só descreve esses lugares em suas páginas como também o faz com extrema precisão. Vejamos: 1. Siquém Referência bíblica: “E chegou Jacó salvo a Salém, cidade de Siquém, que está na terra de Cariàã, quando vinha de Padã-Arã; e armou a sua tenda diante da cidade” (Gn 33.18;12.6; grifo do autor). Evidência arqueológica: “Escavações foram empenhadas em Siquém, primeiramente pelas expedições austríaco-alemãs em 1913 e 1914; posteriormente no período de 1926 a 1934, sob a responsabilidade de vários arqueólogos; e, por fim, por uma expedição americana no período de 1956 a 1972 […] A escavação na área Continue lendo

SOMOS  UMA  CARTA  LIDA  POR  TODOS

SOMOS UMA CARTA LIDA POR TODOS

Um missionário perguntou certa vez a um notável converso o que fora que mais o influenciara a se tornar seguidor de Cristo. O crente, que antes de se converter fora muito ímpio, deteve-se um momento antes de responder. – Estes olhos já viram muitos males – começou ele lentamente – e estas mãos praticaram muito pecado e violência. Minha mente estava constantemente premeditando e forjando o mal. Mas… (aqui o converso fez prolongada pausa e depois continuou): Mas, Sr. F., quando meus amigos que haviam sido ladrões deixaram de roubar, quando mentirosos começaram a dizer a verdade, quando homens cruéis se tornaram bondosos, concluí que devia haver em sua religião cristã algo de valor. Vi isso não no templo mas na vida deles. Sem dúvida haverá maior número de pessoas no reino de Deus, por terem visto sermões, do que por os terem ouvido. Paulo diz que somos “carta… conhecida e lida por todos os homens”. –   “Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens” 2 Coríntios 3:2  …mas sê o exemplo dos fiéis…” I Timóteo 4:12   www.universidadedabiblia.com.br  

Tudo vem à tona!

Tudo vem à tona!

  Mas nada há encoberto que não haja de ser descoberto; nem oculto, que não haja de ser sabido. Lucas 12:2

As minas do Rei Salomão

As minas do Rei Salomão

Escavações podem confirmar minas do rei Salomão   A velha briga para determinar o que é fato e o que é lenda nos textos bíblicos acaba de passar por mais uma reviravolta – e quem saiu ganhando foi o glorioso reino de Salomão, filho de Davi, que teria governado os israelitas há 3.000 anos. Escavações na Jordânia sugerem que a extração de cobre em escala industrial no antigo reino de Edom – região que, segundo a Bíblia, teria sido vassala dos reis de Israel – coincide, em seu auge, com a época do filho de Davi. Em outras palavras: as célebres “minas do rei Salomão” podem ter existido do outro lado do rio Jordão. A pesquisa, coordenada pelo arqueólogo Thomas E. Levy, da Universidade da Califórnia em San Diego, está na edição desta semana da prestigiosa revista científica americana PNAS, e bate de frente com os que duvidam da existência de uma monarquia poderosa em Jerusalém durante o século 10 a.C. Segundo esses pesquisadores, como Israel Finkelstein [ele é um arqueólogo ateu, figura sempre presente nas páginas da Superinteressante e da Galileu], da Universidade de Tel Aviv, tanto a região de Jerusalém quanto a área de Edom, onde as minas foram encontradas, eram habitadas por uns poucos aldeões e pastores nômades nessa época. O surgimento de reinos politicamente bem organizados e capazes de empreendimentos de larga escala só teria sido possível por ali cerca de 200 anos depois. Levy discorda. “O que nós mostramos de forma definitiva é a produção de metal em larga escala e a presença de sociedades complexas, que podemos chamar de reino ou Estado arcaico, nos séculos 10 a.C. e 9 a.C. em Edom. Trabalhos anteriores afirmavam que o que a Bíblia dizia a respeito disso era um mito. Nossos dados simplesmente mostram que a história de Edom no começo da Idade do Ferro precisa ser reinvestigada usando ferramentas científicas”, declarou o arqueólogo ao G1. A região escavada por Levy e seus colegas na Jordânia é uma velha suspeita de ter abrigado as famosas minas salomônicas. Nos anos 1940, o arqueólogo americano Nelson Glueck já tinha defendido a idéia. No entanto, foi só com as escavações em larga escala no sítio de Khirbat en-Nahas (em árabe, “as ruínas de cobre”), ao sul do Mar Morto, que o tamanho da atividade mineradora ali ficou claro. Estima-se que, só em sobras da extração do minério, existam no local entre 50 mil e 60 mil toneladas de detritos. Numa escavação iniciada em 2006, Levy e seus colegas desceram pouco mais de 6 m e montaram um quadro em alta resolução da história de Khirbat en-Nahas. A ocupação começa com uma estrutura retangular de pedra, com protuberâncias ou “chifres”. “Pode ter sido um altar”, conta o arqueólogo – esses “chifres” eram usados como plataforma para besuntar o sangue dos animais sacrificados na antiga Palestina. Acima dessa estrutura, ao menos duas grandes fases de extração de cobre estão documentadas, com paredes de pedra que serviam como instalação industrial. Uma das formas Continue lendo

Estudo sobre a gratidão

Estudo sobre a gratidão

Gratidão , porque Ele tem sido fiel . Hoje vamos estudar sobre o Salmo 100 lá  encontramos dois ensinamentos extremamente necessários com respeito à gratidão a Deus. Em primeiro lugar, veremos que o salmista nos “convida” excessivamente a sermos sempre agradecidos ao Senhor. Porém, além de convidar, o salmista também mostra os motivos. Daí, tiramos o segundo ensinamento do salmo. Em segundo lugar, no Salmo 100, somos motivados exageradamente a ser sempre agradecidos ao Senhor! (Sl 100: 3,5).Uma série de motivos é alistada. Vejamos cada um deles. Primeiro, devemos agradecê-lo porque Ele é Deus! “Sabei que o Senhor é Deus…” Ele está acima de nós! Isso deveria ser o suficiente para Deus receber a nossa gratidão! Não devemos adorar o Senhor somente pelo que Ele fez, faz ou fará, mas, pelo que Ele é: Deus! Soberano, absoluto e digno de glória! Segundo, devemos agradecê-lo porque Ele nos fez!“Foi ele e não nós, que nos fez povo seu…” Ele é o nosso criador! Você não está neste mundo por acaso, nós não somos uma mera obra da natureza, como dizem os evolucionistas, somos filhos de Deus, criados por Ele. Deus te fez com carinho, dedicação. E mais, nos escolheu para sermos seu povo. Se hoje existimos, é o porquê um dia o nosso supremo criador quis que assim fosse. Terceiro, devemos agradecê-lo porque Ele cuida de nós!“…nos fez povo seu e ovelha do seu pasto.” O Senhor é o nosso pastor. Pastor é sinônimo de cuidado. Deus cuida de nós! Nada do que acontece na tua vida foge dos cuidados do supremo pastor. Ele não somente nos criou, mas, também nos sustenta, preserva e fortalece. Seja sempre agradecido pelo cuidado de Deus na sua vida. Quarto, devemos agradecê-lo porque Ele é bom!“Porque o Senhor é bom…” Apesar de muitas vezes, nós, sermos “chatos”, raivosos, “cricris”, ensimesmados, com Deus não é assim, Ele é bom, sempre foi e sempre será. Devemos ser agradecidos ao Senhor pela sua bondade nas nossas vidas: “O Senhor é bom, uma fortaleza no dia da angustia…” Naum 1:7 Quinto, devemos agradecê-lo porque Ele nos ama!“…seu amor dura pra sempre…” Quantas pessoas começam amar hoje e amanhã já era. O amor de Deus por nós não tem fim. Deus não te ama hoje mais do que ontem e nem te amará amanhã mais que hoje. Por isso irmão agradeça ao Senhor! Como é bom saber que Ele nos ama! Sexto e último, devemos agradecê-lo porque Ele é fiel!“e sua fidelidade se estende de geração a geração.” Quantos já não “tomaram os canos” no trabalho, quantos falsos amigos na vida, quantas promessas falsas já ouvimos. Com Deus isso não acontece, Ele promete e cumpre. Ele é fiel! Não “fiel a mim”, como dizem algumas músicas cristãs, mas fiel a Ele mesmo! E por ser fiel a Ele, e usar de muita graça e misericórdia conosco, continua a nos abençoar. Deus é ou não é digno de receber a nossa gratidão? Veja quantas razões o salmista nos apresenta. Agradeça sempre Continue lendo

Gratidão!

Gratidão!

    “Graças a Deus pelo seu dom inefável.” 2 Coríntios 9.15 Ingratidão para com o Senhor é um grande pecado de omissão! Quantos motivos temos para Lhe agradecer! Mas o maior motivo de gratidão de nossa parte para com Deus é Seu Filho amado, que Ele entregou à morte maldita na cruz. Gratidão para com o Senhor é agradável a Deus, pois está escrito: “Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” Você já deu graças ao Senhor hoje? A medida de sua gratidão ao Senhor também determina a medida da vitória de Jesus em sua vida. Dar graças é a mais alta expressão de fé: “Não andeis ansiosos de cousa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas diante de Deus as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graça.” Mas são poucos os filhos de Deus que têm o hábito de agradecer a Deus e louvá-lO antes de Lhe fazerem seus pedidos e suas súplicas. Agradeça-Lhe em primeiro lugar, de todo o coração, pela salvação. Agradeça-Lhe que Ele o carregou e suportou até hoje. Dê graças por ter se tornado um filho de Deus, agradeça por Ele ter lhe dado o novo nascimento. O Senhor gosta de ouvir isso, e assim você estará fazendo a Sua vontade. Através do agradecimento, o Senhor é honrado, e você fica feliz e interiormente livre para interceder de maneira correta pelos outros diante do trono da graça.  (Pérolas Diárias)