Escultura representando um rei é encontrada por arqueólogos e confirma mais um trecho bíblico

Escultura representando um rei é encontrada por arqueólogos e confirma mais um trecho bíblico

Uma nova descoberta arqueológica trouxe um pouco mais de luz e conhecimento sobre as narrativas bíblicas do Antigo Testamento: a escultura representando a cabeça de um rei foi encontrada em uma cidade que é mencionada como parte de disputas de território na Bíblia. Os pesquisadores sublinharam que a descoberta da escultura – que tem cinco centímetros de altura e riqueza de detalhes – serviu para confirmar um período de tempo citado na Bíblia. Mas também fez surgir um novo mistério, pois ainda não há pistas sobre o rei que inspirou a peça. Arqueólogos dos Estados Unidos e de Israel trabalham na resolução do quebra-cabeças, e já concluíram que a escultura é um exemplo raro de arte na região no século 9 a. C., período dos reis bíblicos. Um teste de marcação de carbono confirmou que a peça pertence a essa época, apesar de estar incrivelmente preservada. De acordo com um relatório da Azuza Pacific University, responsável pela descoberta durante escavações na cidade de Abel-Bete-Maaca, a estátua é feita de faiança, material semelhante ao vidro e que foi popular em jóias e pequenas figuras humanas no antigo Egito e no Oriente. O território de Abel-Bete-Maaca fica localizado ao sul da fronteira de Israel com o Líbano, perto da moderna cidade de Metula. Atualmente, o local abriga uma aldeia palestina chamada Abil al-Qamh, que tem o nome derivado da cidade mencionada no livro dos Reis, de acordo com arqueólogos do século 19. “Esta localização é muito importante porque sugere que o local pode ter mudado de mãos entre essas organizações, mais provavelmente entre Aram-Damasco e Israel”, disse a arqueóloga da Universidade Hebraica, Naama Yahalom-Mack, que liderou a escavação em conjunto com a Universidade Azusa Pacific, da Califórnia, segundo informações do jornal The Washington Post. Durante o século 9 a.C., a antiga cidade estava situada entre três potências regionais: o reino aramaico em Damasco, a cidade fenícia de Tiro e o reino israelita, com sua capital em Samaria. A cidade é mencionada em I Reis 15:20 como parte de um grupo de cidades que haviam sido atacadas pelo rei de Arameia, Ben-Hadade, em uma campanha contra o reino de Israel. A peça já está em exibição no Museu de Israel em Jerusalém e em breve um relatório das pesquisas relacionadas será publicado na revista Near Eastern Archaeology. Eran Arie, curador da Idade do Ferro e Arqueologia Persa do Museu de Israel, classifica a descoberta como única: “Na Idade do Ferro, se existe alguma arte figurativa — e em grande parte não existe — é de muito baixa qualidade. E isso é de excelente qualidade”, comentou. Yahalom-Mack observou que a estátua pode representar os reis bíblicos Ben-Hadade ou Hazael de Damasco, Acabe ou Jeú de Israel, ou Etbaal de Tiro. “Estamos apenas adivinhando aqui, é como um jogo. É como dizer um ‘olá’ ao passado, mas não sabemos mais nada sobre isso”, declarou, resumindo o novo enigma. A equipe da Universidade Hebraica fará novas escavações no local para tentar localizar outros artefatos que ajudem a desvendar o enigma Continue lendo

Jesus é DEUS?

Jesus é DEUS?

Jesus é Deus? Você já encontrou uma pessoa que é o centro das atenções onde quer que vá? Alguma característica misteriosa e indefinível o distingue de todas as outras pessoas. Pois foi isso que aconteceu dois mil anos atrás com Jesus Cristo. Porém não foi simplesmente a personalidade de Jesus que cativou aqueles que o ouviam. Aqueles que puderem ouvir suas palavras e observar sua vida nos dizem que existia algo em Jesus de Nazaré que era diferente de todas as outras pessoas. A única credencial de Jesus era ele mesmo. Ele nunca escreveu um livro, comandou um exército, ocupou um cargo político ou teve uma propriedade. Normalmente ele viajava se afastando somente alguns quilômetros do seu vilarejo, atraindo multidões impressionadas com suas palavras provocativas e seus feitos impressionantes. Ainda assim, a magnitude de Jesus era óbvia para todos aqueles que o viram e ouviram. E enquanto a maioria das grandes personalidades históricas desaparece nos livros, Jesus ainda é o foco de milhares de livros e controvérsias sem paralelos na mídia. Grande parte dessas controvérsias envolvem as afirmações radicais que Jesus fez sobre si mesmo, afirmações que espantaram tanto seus seguidores quanto seus adversários. Foram principalmente as afirmações únicas de Jesus que fizeram com que ele fosse considerado uma ameaça pelas autoridades romanas e pela hierarquia judaica. Embora fosse um estranho sem credenciais ou força política, em apenas três anos Jesus foi capaz de mudar a história dos mais de 20 séculos seguintes. Outros líderes morais e religiosos influenciaram a história, mas não como o filho de um carpinteiro desconhecido de Nazaré. Qual era a diferença de Jesus Cristo? Ele era apenas um homem de grande valor ou era algo mais? Essas perguntas nos levam ao cerne do que Jesus realmente era. Alguns acreditam que ele era simplesmente um grande professor de moral, já outros pensam que ele foi simplesmente o líder da maior religião do mundo. Porém muitos acreditam em algo muito maior. Os cristãos acreditam que Deus nos visitou em forma humana, e acreditam que há evidências que provam isso. Após analisar com cuidado a vida e as palavras de Jesus, C.S. Lewis, antigo cético e professor de Cambridge, chegou a uma espantosa conclusão, que alterou o rumo de sua vida. Então quem é Jesus de verdade? Muitos dirão que Jesus foi um grande professor de moral. Ao analisarmos mais cuidadosamente a história do homem que causa mais controvérsias em todo o mundo, primeiramente devemos perguntar: será que Jesus foi simplesmente um grande professor de moral?   Grande professor de moral? Mesmo os membros de outras religiões acreditam que Jesus foi um grande professor de moral. O líder indiano Mahatma Gandhi falava muito bem sobre a integridade e as palavras sábias de Jesus.[1] Da mesma forma, o estudioso judeu Joseph Klausner escreveu, “Admite-se mundialmente… que Cristo ensinou a ética mais pura e sublime… que joga nas sombras os preceitos e as máximas morais dos mais sábios homens da antiguidade.”[2] O Sermão do Monte de Jesus foi considerado o Continue lendo

O que VOCÊ diria ao despertar pela manhã?

O que VOCÊ diria ao despertar pela manhã?

O QUE VOCÊ DIRIA AO DESPERTAR PELA MANHÃ?* *MOISÉS DIRIA:* “Senhor se sua presença não estiver comigo, não sairei daqui” Êxodo 33.15 *ABRAÃO DIRIA:* “O Senhor proverá” Gênesis 22.8 *JACÓ DIRIA:* “Não te deixarei antes de me abençoar” Gênesis 32.26 *JOSUÉ DIRIA:* “Eu e minha casa serviremos ao Senhor” Josué 24.15 *SAMUEL DIRIA:* “Fala Senhor que o teu servo ouve” 1 Samuel 3:9 *NEEMIAS DIRIA:* “A alegria do Senhor é a minha força” Neemias 8.10 *DAVI DIRIA:* “O Senhor é o meu pastor e nada me faltará” e “Esse é o dia que o Senhor preparou para nós, alegremo-nos e exultemos nEle” Salmos 23 e 118.24 *SALOMÃO DIRIA:* “Confie no Senhor de todo coração e não se apóie na sua própria inteligência “Provérbios 3.5 *ISAÍAS DIRIA:* “Levanta- te e replandece, pois a glória do Senhor está sobre sua vida ” e “Nenhuma arma forjada contra mim prosperará” Isaías 60.1 e 54.17 *JEREMIAS DIRIA:* ” O Senhor tem grandes planos para nossas vidas, planos de Paz e não de guerra.”Jeremías 29.11 *EZEQUIEL DIRIA:* “Cada osso seco em minha vida, viverá” Ezequiel 37 *JONAS DIRIA:* “Em minha angustia clamarei a ti e tu me responderas” Jonas 2.1-2 *PEDRO DIRIA:* “colocarei minha angustia sobre o Senhor, porque ele cuida de mim”1 Pe. 5.7 *PAULO DIRIA:* “Posso todas as coisas naquele que me fortalece” Filip. 4.13 *EU DIGO: “Que tenhamos um dia abençoado na companhia de JESUS. Que o SENHOR te proteja, te guarde de todo o mal. Te dê um dia cheio de paz, justiça e alegria! *O que VOCÊ diria!?    

Você ganhou uma aula bônus da Escola da Bíblia Shubert!

Você ganhou uma aula bônus da Escola da Bíblia Shubert!

“Não deixe de falar as palavras deste Livro da Lei e de meditar nelas de dia e de noite, para que você cumpra fielmente tudo o que nele está escrito. Só então os seus caminhos prosperarão e você será bem sucedido” (Josué 1:8)     ► Quero Saber Mais   

Série: Os 12 Apóstolos | Natanael

Série: Os 12 Apóstolos | Natanael

O Apóstolo Natanael “Jesus, vendo Natanael aproximar-se dele, disse a seu respeito: Eis um verdadeiro israelita, em quem não há dolo!” (Jo 1:47). Encontrado por Filipe, que fala com convicção acerca do encontro com o Messias, Natanael ouve atentamente, até que ouve algo que lhe suscita o preconceito: “Achamos aquele de quem Moisés escreveu na lei, e a quem se referiram os profetas…” (Jo 1:45). Natanael ouve com surpresa a noticia, e como bom israelita, vê acender em si a esperança messiânica. Ao prosseguir com a descrição, Filipe apaga a chama do zelo religioso de Natanael e atiça o fogo do preconceito: “…Jesus de Nazaré, filho de José.” (Jo 1:45b). De Jerusalém ou de Belém, a cidade de Davi, poderia vir o Messias, mas de Nazaré? Parecia ser impossível a Natanael. Felipe o convida a provar por si próprio: “Vem e vê.” (Jo 1:46). Ao encontrar-se com Cristo ouve uma saudação elogiosa que o desconcerta: “Aqui está um verdadeiro israelita, em quem não há nada falso.” (Jo 1:47). Jesus então afirma que o viu assentado sob uma figueira, antes de Felipe o convidar. Natanael então crê e vê em Jesus a pessoa do Filho de Deus, o Rei de Israel. Observe: após a demonstração clara do conhecimento de Cristo a seu respeito, o Messias poderia ter vindo de onde veio, mas sem dúvida nenhuma haveria de ser o Rei de Israel, pensava Natanael. Jesus então afirma que Natanael veria “…coisas maiores que esta…” (Jo 1:50), até mesmo “…o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem.” (Jo 1:51). “No meio dos doze discípulos que Cristo na terra escolheu Bem pouco se sabe a respeito, talvez quase nada de Bartolomeu Quem sabe era irmão de Felipe que um dia Jesus encontrou, Quem sabe se seu sobrenome era Natanael a quem Cristo chamou Talvez tenha até duvidado do que seu irmão descreveu Que o filho de Deus, esperado era de Nazaré, mais um galileu Mas quando Jesus face a face falou-lhe quem era e porque Cessou todo o passe e repasse brotou-lhe a certeza daquele que crê. (Guilherme Kerr Neto) Pelo fato de Felipe encontrar-se sempre agrupado com Bartolomeu (Mt 10:3; Mc 3:18; Lc 6:14) ou com Tomé, Bartolomeu e Mateus (At 1:13), muito pensam que Natanael era o nome do discípulo cujo sobrenome aramaico era “Filho de Tolmai” (Bar-Tolmai), o que faz acreditar que Natanael e Bartolomeu sejam a mesma pessoa. Seu nome significa “dádiva de Deus”. Provém do grego Naqanahl, Nathanael, que por sua vem tem origem no hebraico N’than’el(Nm 1:8). Natural de Caná da Galiléia, próxima cerca de 6 km de Nazaré, aldeia de Jesus. Foi um do grupo que viu a aparição de Cristo no Mar da Galiléia, após sua ressurreição, conforme o relato de Jo 21:2. Seu nome não está contido nas listas dos Doze, mas provavelmente é o mesmo que o apóstolo Bartolomeu (gr. Bartholomaios, do aram. bar-talmai, “filho de Tolmai”), encontrado em Mt 10:3

Condenamos um homem por cambalear…

Condenamos um homem por cambalear…

Condenamos um homem por cambalear nesta manhã, mas não vimos a pancada que ele levou ontem. Julgamos uma mulher por andar mancando, mas não podemos ver o prego em seu sapato. Zombamos do medo em seus olhos, mas não fazemos idéia de quantas pedras já tiveram de se desviar, ou de quantas flechas se esquivar. Não ignoramos apenas o ontem, mas também o amanhã. Ousaríamos julgar um livro antes que seus capítulos fossem escritos? Podemos dar nossa opinião sobre um quadro, enquanto o artista ainda segura os pincéis? Como pode você repudiar uma alma, antes que o trabalho de Deus seja completado? “Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês há de completá-la até o dia de Cristo Jesus” (Fp 1.6 NVI). Cuidado! O Pedro que negou a Jesus na fogueira, esta noite, poderá proclamá-lo com fogo, amanhã, no Pentecostes. O Sansão que hoje está cego e fraco pode usar suas últimas forças para demolir os pilares do ateísmo. O pastor gago desta geração pode ser o poderoso Moisés da geração vindoura. Não chame Noé de louco; talvez você tenha de pedir-lhe uma carona. (Nas garras da Graça – Max Lucado)

10 Razões para ler e entender a Bíblia

10 Razões para ler e entender a Bíblia

1- Para Saber Aonde Ir “Firma os meus passos na tua palavra, e não me domine iniquidade alguma.” (Salmos 119:133)   2- Para Ter Alegria “Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o mandamento do SENHOR é puro e ilumina os olhos.” (Salmos 19:8)   3- Para Ter Sabedoria “A lei do SENHOR é perfeita e restaura a alma; o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices.” (Salmos 19:7)   4- Para Ter Mais Fé “Porém que se diz? A palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração; isto é, a palavra da fé que pregamos.” (Romanos 10:8)   5- Para Encontrar Libertação “Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8:31, 32) 6- Para Obter Êxito “Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido.” (Josué 1:8)   7- Para Ter Uma Vida Pura “De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a tua palavra.” (Salmos 119:9)   8- Para Obedecer a Deus “Ensina-me, SENHOR, o caminho dos teus decretos, e os seguirei até ao fim. Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei; de todo o coração a cumprirei. Guia-me pela vereda dos teus mandamentos, pois nela me comprazo.” (Salmos 119:33-35) 9- Para Distinguir o Bem e o Mal “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti.” (Salmos 119:11)   10- Para Viver em Paz “Grande paz têm os que amam a tua lei; para eles não há tropeço.” (Salmos 119:165)